BLOG

‎Emmanuel Fornazari

Jornalista formado pela UEPG em 2010, foi repórter de esportes e política do Jornal da Manhã de Ponta Grossa, no Paraná. Foi produtor, âncora e colunista da Rádio Sant'Ana e editor-chefe do programa esportivo Show de Bola do SBT. Atualmente, além de diretor geral do Net Esporte Clube, é editor de texto na Rede Massa/TV Guará/SBT. É comentarista esportivo do programa Esporte Emoção, da TV Educativa.

Publicado em 13/04/18 20:41 atualizado em 13/04/18 20:45

Titulares ou reservas?

O técnico Gerson Gusmão não titubeou e disse após a vitória por 2 s 0 sobre o PSTC que iria poupar atletas diante do Volta Redonda, na estreia da Série C do Campeonato Brasileiro. O jogo é neste domingo (15), às 15h30, e o comentário dividiu opiniões de torcedores.

Alguns acham loucura já que a Série C é um torneio mais difícil; porque o Fantasma está com cinco pontos de frente para o próprio PSTC; e enfrenta na sequência da Segundona o Batel - equipe com baixíssimo poderio ofensivo, apesar de organizada em campo - na quarta-feira (18), às 15h30.

Outros apoiam a ideia de mandar um time reserva a campo, já que é preciso primeiro cumprir a obrigação de subir para a primeira divisão estadual, até porque a Série C é longa - 18 rodadas ao todo, na primeira fase.

As duas apreensões são corretas, possíveis e entendíveis. Mas o meio termo, nesse caso, é mais sensato. Dificilmente Gerson Gusmão vai mandar um time reserva, de fato, contra o Volta Redonda. Duvido que isso aconteça, e acharia bastante estranho, principalmente porque o Operário tem elenco para rodar e manter o nível.

Trocar até três peças não seria um absurdo e não diminuiria o potencial coletivo. Mais co que isso, aí sim, pode afetar a questão do entrosamento, mesmo mantendo um time competitivo. 

Há jogadores desgastados e até machucados atuando. Peixoto não está 100% na questão muscular; Lucas Batatinha está com a mão quebrada; e Schumacher inspira cuidados por conta dos problemas físicos do fim da temporada passada e início desta.

Um dos dois atacantes devem ir ao jogo. No lugar do outro pode entrar Jean Carlo. Se Peixoto não for a campo, Raphael Soares já mostrou potencial. Caso mais uma mudança aconteça - cogita-se um descanso para o capitão Chicão -, o padrão de jogo vai ser mantido, e o Fantasma tem tudo para estrear bem no Brasileirão. E precisa disso, porque depois são dois jogos fora de casa.