Caramuru almeja subida na tabela por 'folga' na próxima temporada

Técnico alvinegro comenta longa sequência fora de casa e pede 'alívio'

Por: Redação em 13/01/2018 07:48:58 atualizado em 13/01/2018 08:07:22
Caramuru volta às quadras neste sábado (13) contra o SESI, em São Paulo - Foto: José Tramontin/Caramuru

Caramuru volta às quadras neste sábado (13) contra o SESI, em São Paulo - Foto: José Tramontin/Caramuru


O segundo turno da Superliga Masculina de Vôlei será uma verdadeira turnê para o Ponta Grossa Caramuru. A equipe do técnico Fábio Sampaio faz sete dos 11 jogos fora de Ponta Grossa, sendo cinco deles em sequência contra os principais clubes da competição.


A 'maratona' tem pela frente SESI (SP), Taubaté (SP), Sada/Cruzeiro (MG) e SESC (RJ). Essa é uma das maiores preocupações do treinador. “É uma sequência contra os favoritos ao título, equipes de maior investimento. Fizemos bons jogos aqui, contra o Sada poderíamos até ter levado para o tie-break, mas sabemos que jogar no território deles é complicado”, avalia.


Além dessa sequência, o Caramuru ainda enfrenta o Corinthians (SP) e Lebes Canoas (RS) fora de casa. Em compensação, os jogos contra adversários diretos são em Ponta Grossa, onde recebe o Maringá (PR), Juiz de Fora (MG), Minas Tênis Clube (MG) e Montes Claros (MG).


O returno com menos partidas em casa acaba alterando o planejamento dos alvinegros para a temporada. “Se torna mais cansativo, é viagem atrás de viagem. Também tem a ausência do nosso torcedor, que nos dá um estímulo maior mesmo sem termos vencido em casa ainda”, explica Sampaio.


O Caramuru não joga em Ponta Grossa desde 25 de novembro, quando foi derrotado pelo Lebes Canoas (RS) por 3 a 2. Os alvinegros voltam à Arena Multiuso apenas no dia 17 de fevereiro, quando recebem o Maringá pela sexta rodada. São quase três meses de ausência, totalizando oito partidas no período.


Um dos objetivos da equipe é conquistar uma melhor classificação na Superliga, e, por consequência, uma tabela mais equilibrada na temporada 2018/2019. “A tabela é ‘irregular’ pois fomos a última equipe na classificação [temporada 2016/2017]. Nós temos que respeitar isso e entender. Precisamos trabalhar firme para que nas próximas temporadas possamos ter uma tabela mais folgada”, finaliza o treinador.


* Reportagem de Lucas Matos, especial para o Net Esporte Clube


© 2014 - Net Esporte Clube - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por:ARS Technology ARS Technology